loading...

Cidade em Inglaterra troca flores e árvores de rua por hortas urbanas

(1 Vote)
Cidade em Inglaterra troca flores e árvores de rua por hortas urbanas
Foto: SustentArqui

Projeto Incredible Edible transforma pedaços de terra em áreas plantadas. Plantação despertou nos moradores preocupação com origem de alimentos.

Há seis anos, um projeto criado em Todmorden tem garantido alimentos de graça à população. Sem pedir autorização, Mary Clear e outros moradores da cidade no interior da Inglaterra transformaram pedacinhos de terra em hortas. “O que nós poderíamos fazer que traria todo mundo e faria as pessoas contribuírem? Pensamos: temos a comida, que atravessa culturas, classes idades, credos. A nossa parceria é: se você come, está dentro”, diz a fundadora.

O Incredible Edible – Incrivelmente Comestível, em português – começou na frente das próprias casas, mas se expandiu para outros cantos e espaços públicos, como o estacionamento de uma estação de trem, as margens de um canal e até uma delegacia. “Qualquer pessoa pode vir e pegar um vegetal. Não sei de nenhuma pessoa que tenha se sentido intimidada”, conta o policial John Stocks.

Até mesmo as flores são comestíveis. As hortas são mantidas por cerca de 300 voluntários, aproximadamente 2% da população local, que não faltam nem durante o inverno, mesmo com gelo e neve. O número é modesto, mas foi suficiente para provocar mudanças importantes na rotina da comunidade e despertar nos moradores a preocupação com a origem dos alimentos, o que ajudou a promover a produção local. Uma pesquisa recente aponta que metade dos comerciantes de Todmorden teve aumento nas vendas desde a criação do projeto.

Situada no meio de um vale, a cidade tem um cenário verde promissor, mas, curiosamente, nenhuma fazenda. Há três anos, foi aberta a Incredible Farm, ou Fazenda Incrível. O objetivo é formar uma nova geração de agricultores. Com o alto desemprego entre os jovens na Europa, as hortas voltaram a chamar a atenção. “Nossos aprendizes são encorajados a abrir o próprio negócio com essa aprendizagem”, destaca o agricultor Nick Green.

Meia tonelada de salada vendida

Quase tudo o que acontece na fazenda é experimental. Não há eletricidade e o sistema de irrigação foi feito com uma bomba de barco, reaproveitando a água da chuva. Muitas sementes são importadas da Ásia e da América Latina e nem sempre vingam. O modelo de venda também varia. No ano passado, a fazenda abastecia sete restaurantes da região. Este ano, os produtos são vendidos para uma loja que é tanto um restaurante quanto um ponto de venda. “Vendemos quase meia tonelada de salada este ano”, aponta Green.

A venda das saladas ajuda a divulgar o projeto e a incentivar o consumo de alimentos orgânicos. Por enquanto, a fazenda só tem dinheiro para bancar um funcionário e um aprendiz por vez, mas os portões ficam abertos, especialmente, para as escolas. Algumas cederam espaço para hortas urbanas e outras ensinam na prática a origem dos alimentos para as crianças. “Plantar é bem divertido e fascinante”, conta Sky Friend, de nove anos.

A agricultura não faz parte do currículo escolar e as aulas foram criadas por iniciativa dos professores, que combinam a atividade com outras matérias, como a matemática. “É incrível assistir às reações e dar a eles esse conhecimento de onde vem a nossa comida”, avalia a professora Anna Wilson.

O projeto Incredbile Edible já foi replicado em mais de 30 cidades da Grã-Bretanha e de outros países, como a Índia. Quase toda semana, jornalistas e visitantes curiosos vão ao local para conhecer os segredos das hortas urbanas. A procura é tão grande que já virou fonte de renda, uma espécie de turismo vegetal. “Nosso projeto é financiado somente pelos visitantes. Eles pagam seis libras e fazem um tour. Podemos usar esse dinheiro para ajudar nas escolas, comprar adubo, terra, sementes”, diz Mary Clear.

Apesar de muitos moradores nunca terem ouvido falar das hortas, a fundadora toca o projeto adiante sem pensar nos resultados. Ela também dá um conselho para quem quiser replicar a ideia: “Ache um canto horrível e triste da sua cidade e faça com que ele fique bonito. Use flores que você possa comer, ervas que você possa cheirar e transforme tudo em beleza”.

Fonte: G1 Globo

 

loading...

Subscreva Newsletter

Escreva o seu email:

Entregue por FeedBurner